Em crescimento, setor de moda online atrai empreendedores

Dicas de marketing digital para revendedoras de lingerie

O setor de e-commerce é um dos que menos sofrem com a crise econômica no país. A estimativa é de crescimento de 18% este ano em relação a 2015, com faturamento total de R$ 56,8 bilhões, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). Dentro do universo de e-commerce o setor de moda online se destaca, movimentando mais de R$ 150 bilhões no ano passado, de acordo com o Google Varejo. Apenas a categoria de moda e assessórios representa quase 15% de todo o mercado.

Com todas as perspectivas positivas, este setor está atraindo mais empreendedores, embora haja grandes players. O empresário Marco Sini acabou de colocar no ar a LivStorm, loja online de moda voltada para o universo skate, surf e streetwear. Flexibilidade, agilidade e baixo custo para criar e operar uma uma loja virtual são grandes vantagens do e-commerce em relação ás lojas tradicionais. Contudo, não basta apenas ter uma ideia e colocar no ar a loja para obter sucesso.

Ele conta que o projeto da LivStorm começou há cerca de um ano com o projeto de imersão, o estudo de mercado e o plano de negócios elaborado com supervisionamento dos consultores Topper Minds. Para avançar com o projeto, o empresário recrutou uma equipe de profissionais com experiência em projetos de comércio eletrônico. Os Stormes, como foram batizados, trouxeram para a LivStorm o conhecimento e expertise do setor.

Com todas as informações e estudos disponíveis, segundo Sini, a equipe conseguiu identificar uma oportunidade no mercado de desenvolver um negócio online que pudesse levar ao cliente serviços com valores agregados e “que não estivesse vinculado somente a preço a qualquer custo. Queremos entregar valor na experiência de compra… essa é nossa missão. Escutar os anseios e desejos dos clientes para com nossos produtos e serviços… essa é a nossa paixão”.

Um ponto a favor do projeto da LivStorme é que Marco Sini já possui vasta experiência no setor de moda. Inclusive, foi a partir desta experiência e do conhecimento dos gargalos do setor que o empresário resolveu criar a LivStorm. Marco Sini atuou durante anos como Private Label, desenvolvendo e fabricando coleções de produtos para licenciados de grandes marcas nacionais e internacionais.

A partir desta experiência, Marco Sini notou que a pressão dos licenciados das marcas pela redução de custos estava chegando ao limite, prejudicando a qualidade do produtos e colocando em xeque os valores e o posicionamento das grifes no mercado. A quantidade de revendedores até que o produto chegasse ao consumidor final fazia com que os fabricantes reduzissem a margem de lucro e as marcas abrissem mão da qualidade, prejudicando a sustentabilidade de todo o negócio.

“Diante desta realidade, iniciamos um projeto de parcerias (licenciamentos) direto com os proprietários das marcas, permitindo que pudéssemos comercializar boa partes dos produtos, desde sua fabricação até chegar no consumidor final”, conclui Marco Sini.

Uma ideia sobre “Em crescimento, setor de moda online atrai empreendedores

  1. Eu mesmo só compro roupas pela internet, e tenho pensado seriamente em montar um e-commerce nesse ramo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *