Escola de negócios da PUC-Rio promove mesa-redonda sobre varejo competitivo em momento de crise

links-facebook_IAG

Evento vai debater a importância do treinamento na área de varejo, os desafios numa economia estagnada e a
importância das franquias.

A Escola de Negócios da PUC-Rio promove no dia 28 de abril, a partir das 19h30, a mesa-redonda “Varejo Competitivo em Momento de Crise”. O debate será mediado pelo coordenador acadêmico do MBA em Gestão Comercial e de Vendas da Escola de Negócios da PUC-Rio professor Jorge Alberto Zietlow Duro. O evento tem como objetivo principal abordar tópicos relevantes para gestores e empresários sobre como enfrentar e adaptar negócios de varejo e comércio num momento de economia recessiva e turbulenta.

A mesa-redonda contará com as presenças de Alexandra Sanglard, vice-presidente do Grupo Friedman, referência no mercado brasileiro de consultoria para varejo e serviços; Jaime Xavier, diretor comercial do Grupo Frutaja – Supermercados Zona Sul e Paulo Mendonça, Diretor de Capacitação em Franchising da ABF.

Os convidados abordarão aspectos como o treinamento dos colaboradores pode ser um fator estratégico criando diferenciais; ações que o franqueador deve reforçar para apoiar seus franqueados e motivá-los e como o auto-serviço pode criar diferenciais competitivos e sustentáveis. Os convidados estarão disponíveis para perguntas sobre os assuntos que serão tratados.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até 28 de abril na secretaria da Escola de Negócios da PUC-Rio, pelo telefone 2138-9348 ou pelo e-mail  [email protected]. O evento acontece no auditório da Escola, na Rua Marquês de São Vicente, 225, Gávea.

Sobre os participantes

Alexandra SanglardVice-Presidente do Grupo Friedman

Tema: Treinamento do varejo como fator estratégico para enfrentar a crise.

Alexandra Sanglard é responsável pelas áreas de Marketing, Comunicação e Desenvolvimento do Grupo Friedman. Há 25 anos atuando no Brasil, o Grupo já formou milhares de profissionais através de seus programas e seminários. Mestre em Administração pela PUC-Rio, Alexandra é formada em Psicologia pela UFRJ, tem Pós-graduação em Marketing e Management pela PUC-Rio. Em mais de 20 anos de carreira na área de Varejo, passou por algumas das mais importantes grifes do País, como Richards e Cantão, atuando na área de Recursos Humanos.

Jaime Xavier – Diretor Comercial do Grupo Frutaja – Supermercados Zona Sul

Tema: Os desafios do varejo numa economia estagnada

Jaime Xavier é Administrador de Negócios com Especialização em Marketing, pela FGV – SP, Master em Negócios pela COPPEAD – UFRJ, Professor Convidado do IAG/PUC/RJ, nas disciplinas de Gestão de Marcas e Gestão do Varejo. Construiu sua carreira nas áreas Comercial e Marketing da Cia. Nestlé (Brasil) e Supermercado

Zona Sul (RJ/Brasil). Sócio Master da XConsult – Consultoria Empresarial, atua como Conselheiro e Consultor em empresas no Brasil e no Exterior, dentre as quais Lactalis Group (França e Brasil), Parmalat (Brasil e América do Sul) Supermercado Zona Sul S/A (RJ), Grupo Multiformato (BH), Supermercados Supermaia (Brasilia – DF), Grupo Martins (Uberlandia – MG), Dotz (Brasil e Canadá), Frutajá Foods S/A (Brasil). Especialista em Desenvolvimento de Marcas, Planejamento Estratégico e Implantação de Novos Negócios nas áreas de Indústria, Varejo e E-commerce, Xavier desenvolve  e implementa Projetos de Gerenciamento de Categorias e Relacionamento Empresa/Cliente.

Paulo Mendonça – Diretor de Capacitação em Franchising da ABF – Associação Brasileira de Franchising Rio

Tema: O modelo de franquia num momento de crise, tendências do segmento e o desempenho do franchising nos últimos anos.

Paulo Mendonça cursou MBA pela Maharishi University of Management, Iowa, USA e é pós-graduado em Ciências Contábeis pela Fundação Getúlio Vargas. Foi gestor na implantação, operação, planejamento e marketing de 21 lojas da Pizza Hut no Rio de Janeiro, Consultor da Dado Bier Cervejaria, Gerente Geral no Brasil da LSG Lufthansa Sky Chefs (catering aéreo, refeições industriais e produtos de alimentação para franquias) e Gerente Geral da Projeto Fiat (concessionárias). Atualmente é Diretor de Capacitação em Franchising da ABF – Associação Brasileira de Franchising Rio.

Serviço

“Mesa-redonda sobre “Varejo Competitivo em Momento de Crise”.

Data: 28 de abril

Horário: 19h30

Local: Auditório da Escola de Negócios da PUC-Rio

Endereço: Rua Marquês de São Vicente, 225, Gávea

Inscrições: Secretaria da Escola de Negócios da PUC-Rio, pelo telefone (21) 2138-9348 ou [email protected].

Mais Informações

Trevo Soluções em Comunicação – Assessoria de Imprensa da Escola de Negócios da PUC-Rio

Tel.: 21.2544-6203

Márcio Martins ([email protected])

Ana Carolina Tosto ([email protected])

www.trevocomunicativa.com.br

Mercados que estão presentes no Carnaval e você não sabia

Mercados que estão presentes no Carnaval e você não sabia

As surpresas do Carnaval vão muito além dos desfiles nas avenidas. O curioso é que, sem certos tipos de produtos, seria praticamente impossível desfrutarmos de uma bela temporada à beira-mar, curtir um bloco de rua ou camarote e até mesmo assistir aos emocionantes desfiles de escolas de samba. Há produtos que são pouco comentados, mas possuem alta demanda na festa mais esperada do ano, como equipamentos de segurança para trabalho em altura, tubos de aço e itens de farmácia. Muitas empresas pegam o gancho dessa data comemorativa e alavancam as vendas.

6 detalhes dos dias da folia que passam despercebidos para muitos

  • Camarotes: antes de começar a folia, são realizadas obras e tudo tem que estar dentro das normas da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego. Se houver fiscalização e os funcionários não estiverem utilizando equipamentos de segurança corretos, o órgão autua os responsáveis pela obra e paralisa as atividades
  • Já os barracões onde são confeccionados os carros alegóricos são igualmente fiscalizados pela SRTE. Todos os colaboradores da agremiação têm que utilizar acessórios que assegurem a segurança do trabalho
  • A sustentação da maioria dos carros alegóricos é constituída por tubos de aços, estruturas altamente resistentes e funcionais: tubos quadrados, retangulares e até mesmo redondos (utilizado em conjunto com cordas próprias para o trabalho, de forma que as articulações de peças dos carros se movimentem livremente)
  • A estrutura é reforçada com vigas e colunas de aço: os produtos precisam estar dentro das normas específicas e com certificado de qualidade, para garantir a base do “esqueleto” do carro alegórico,   permitindo que as pessoas sejam transportadas com total segurança
  • Como se trata de um evento que ocorre no verão, o cuidado com a saúde precisa ser redobrado. É fundamental se hidratar bem e proteger a pele contra radiação solar. A desidratação é muito comum nessa época. Medicamentos Isentos de Prescrição para azia, ressaca e má digestão são os mais procurados pelos foliões
  • Praticar sexo seguro é a melhor maneira de aproveitar o Carnaval. Nesta época é comum o aumento de registro de doenças transmitidas pelo contato sexual. Preservativos só podem ser comercializados se possuírem certificados pelo INMETRO e   Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Fabricantes têm que renovar periodicamente todas as exigências de padrão de qualidade para combater falsificações

Pequenos e médios empresários atentos às oportunidades de datas comemorativas

Um planejamento apurado, com estratégia bem definida, é a melhor maneira que empreendedores têm buscado para tirar proveito do máximo de oportunidades de vendas. Pesquisar ocasiões favoráveis e manter o cliente sempre muito bem informado é fundamental para aumentar o faturamento de empresas das mais variadas áreas de atuação.

Brasil avança no ranking mundial do empreendedorismo

Brasil avança no ranking mundial do empreendedorismo


De acordo com Global Entrepreneurship Index, Brasil sai da 100ª posição e ocupa o lugar de número 92, dentre 132 países avaliados, mas ainda enfrenta grandes desafios em aspectos como internacionalização e inovação de produtos.

 

Para dar as boas vindas à Semana Global do Empreendedorismo no mundo, a Rede Global de Empreendedorismo e o Instituto GEDI (The Global Entrepreneurship and Development Institute) lançam no Brasil o Global Entrepreneurship Index 2016 (GEI) – um ranking mundial que avalia anualmente os  ecossistemas empreendedores das principais economias ao redor do mundo.

 

O estudo avalia 132 países a partir de 3 sub-índices, 14 pilares e 31 indicadores de modo a identificar as oportunidades e os gargalos de cada um deles. Com isso, o Índice visa avançar com propostas de políticas públicas, além de contribuir para o desenvolvimento de melhores práticas e de planos sustentáveis para ambientes empreendedores.

Nesta edição do GEI, o Brasil, que ocupava a 100º posição, chega ao lugar de número 92, o que representa um ganho de 8 posições em relação ao mundo e 3 posições em relação a América Latina. O país mantém vantagens relacionadas ao mercado, por conta da aglomeração urbana e do tamanho do mercado comparado ao de outros países, e à percepção positiva da população sobre a carreira empreendedora. Os quesitos que mais ajudaram o país a subir no ranking se referem a pequenas melhoras em alguns indicadores institucionais e individuais, como em uso de internet, que possibilita o networking gerando oportunidades para o empreendedor; liberdade econômica, onde o brasileiro encontra oportunidade de espaço para as startups; novos produtos e tecnologias, e exportação, que indicam maior crédito no desempenho do Brasil no processo de inovação e internacionalização.

 

Apesar da evolução, o país avança a passos lentos – ainda está atrás de 15 países da América Latina, como Chile, Colômbia e Argentina. Para fortalecer seu ambiente empreendedor, segundo o estudo, o Brasil deveria focar em aspectos como internacionalização, inovação de produto, capital humano e processo de inovação, pilares em que o Brasil apresenta pior colocação. Sendo que os dois principais gargalos são a internacionalização, grande parte pela deficiência do país em exportar, e a inovação de produto, reforçando a necessidade de desenvolver o potencial do país para criar novos produtos e colocá-los em produção.

 

Confira outros highlights do GEI 2016:

  • Em 1º lugar estão os Estados Unidos, 2º Canadá e em 3º a Austrália.

  • Os 10 melhores países do estudo de 2016 apresentam um padrão similar ao de 2015: são países de alta renda, e na sua maioria europeus.  

  • O avanço do Brasil, 92º colocado, é atribuido a alguns aspectos: o países continua forte dentro de “percepção de oportunidade” e suporte a “cultura empreendedora”  Além disso, houveram pequenas melhoras em alguns indicadores institucionais e individuais, como em uso de internet, liberdade econômica, novos produtos, tecnologias e exportação.

  • Corrupção ainda é um fator que atrapalha a percepção do brasileiro sobre o empreendedorismo.

  • Coletivamente a América Latina é mais forte em Atitudes e Habilidades, porém fraca em aspiração, principalmente olhando para o Brasil.

  • O brasileiro tem uma perspectiva relativamente positiva sobre as oportunidades de empreendedorismo, mas fica para trás em sua vontade de crescer e inovar com seus negócios. Se esse gap de “aspiração” fosse diminuído, o país poderia avançar no ecossistema empreendedor.

  • O Brasil apresentou ainda uma piora no índice de habilidades empreendedoras, mais especificamente nos pilares de capital humano, que é a formação e capacidade do empreendedor e o treinamento de sua equipe; competição, número de competidores e as barreiras de mercado e absorção de tecnologia, ou seja, o número de empresas de tecnologia e a capacidade do país gerar tecnologia.

Para fazer download do relatório completo, acesse: http://thegedi.org/2016-global-entrepreneurship-index/

SOBRE O INSTITUTO GEDI E O GEI


O Instituto de Desenvolvimento Global de Empreendedorismo (GEDI), realizador do estudo, é uma organização sem fins lucrativos que avança a investigação sobre as ligações entre o empreendedorismo, o desenvolvimento econômico ea prosperidade. O instituto foi fundado por líderes mundiais do empreendedorismo da George Mason University, Universidade de Pécs e Imperial College London.

O GEI (Global Entrepreneurship Index) é um avanço inovador na aferição da qualidade e dinâmica dos ecossistemas de empreendedorismo a nível nacional e regional. A metodologia, sobre a qual os dados neste relatório baseia-se, foi validado em rigorosas avaliações por acadêmicos e tem sido amplamente divulgado nos meios de comunicação, inclusive no The Economist, The Wall Street Journal, Financial Times e Forbes.

SOBRE ENDEAVOR

A Endeavor é uma das principais organizações de fomento ao empreendedorismo no mundo. Atua na mobilização de organizações públicas e privadas e no compartilhamento de conhecimento prático e de exemplos de empreendedores de alto impacto para fortalecer a cultura empreendedora do país. No Brasil desde 2000, já ajudou a gerar quase R$ 4 bilhões em receitas anualmente e mais de 20.000 de empregos diretos através de programas de apoio a empreendedores; e a capacitar mais de 2 milhões de brasileiros com programas educacionais presenciais e à distância. Mais informações: http://endeavor.org.br/

Brasil Empreendedorismo: semana com 50 palestras online ocorrerá em Abril

Ensinar técnicas essenciais àqueles que querem começar seu próprio negócio e auxiliar pequenos e médios empreendedores com o desejo de alavancar suas empresas. Esse é o objetivo do Brasil Empreendedorismo 2015 (www.brasilempreendedorismo.com.br) – #BEM2015, promovido pela Acelera Startups. O evento terá “novas atitudes, melhores resultados” como tema e acontecerá entre os dias 6 e 12 de abril. Serão 50 palestras transmitidas online ao longo de uma semana, em diversos horários.

Entre os palestrantes estão nomes de peso nacionais e internacionais, como: Renato Santos, coautor da atual versão do Empretec e conselheiro de Roberto Justos em Aprendiz – O Retorno (2013) e Aprendiz Celebridades (2014), da Rede Record; Lynda Weinman, co-founder do Lynda.com, um dos maiores sites de educação online do mundo; e Marcelo Sales, da aceleradora de startups 21212. Serão abordados temas como inovação, planejamento, gestão, vendas, comunicação e direito empresarial, entre outros.
Segundo Fabrício Santos, um dos idealizadores do evento, a iniciativa é uma forma de despertar empreendedores adormecidos ou receosos. “O empreendedorismo é a salvação do Brasil. Quanto mais pessoas estiverem gerando negócios, emprego e renda, mais a sociedade se desenvolve”, afirma.
O Brasil Empreendedorismo 2015 será transmitido por streaming por meio da plataforma Stealth Seminar. São aguardados cerca de 10 mil espectadores às palestras, gravadas pelos próprios convidados ou seguindo o formato de entrevistas e mesas redondas comandadas pelos organizadores. Para participar, basta se inscrever no site por e-mail, conta no Facebook ou Google+ – as inscrições já estão abertas. A programação completa também estará disponível na página web do evento.
O congresso tem o apoio da Press Works (www.pressworks.com.br), agência de conteúdo que trabalhará na divulgação do evento; da Citizen, que cuidará da gravação, edição e transmissão dos vídeos; da YetiLab, responsável pela área de programação e web; e da Ninja Digital, gestores das redes sociais.

Cursos gratuitos em diversas áreas

Conhecimento nunca é demais. E para se tornar um profissional de sucesso no concorrido mercado de trabalho atual, é preciso cada vez mais se aprimorar e se especializar. A palavra da vez é versatilidade. Um bom profissional deve ser excelente na sua área, mas não pode se esquecer de aprender novos conhecimentos que elevem sua visão de mercado e aumentem suas habilidades profissionais. Ainda mais hoje, em que as áreas estão muito mais conectadas entre si e precisamos cada vez mais de informações de outras áreas que não sejam exatamente a nossa.

E investir no desenvolvimento profissional nem sempre requer um alto investimento financeiro. Hoje, grande parte das universidades e escolas técnicas oferece cursos gratuitos em diversas áreas que podem ser feitos por qualquer indivíduo. Em forma de palestras, workshops, congressos, cursos online ou cursos presenciais, essas instituições têm investido em transferir conhecimento de forma gratuita aos profissionais do mercado, estudantes e quem mais se interessar pelos conteúdos em questão. Há cursos nas áreas de finanças, administração, marketing, negócios, jornalismo, tecnologia da informação e diversas outras áreas. No Rio de Janeiro, por exemplo, faculdades como FGV, FACHA e ESPM oferecem ciclos periódicos de workshops gratuitos. A Fundação Getulio Vargas foi a primeira instituição brasileira a ser membro do OpenCourseWare Consortium (OCWC), um consórcio de instituições de ensino de diversos países que oferecem conteúdos e materiais didáticos sem custo, pela internet. Veja no portal da FGV a lista completa de cursos oferecidos atualmente.

Quem deseja fazer um curso de Google Adwords, a maior ferramenta de publicidade da internet, vai ter uma ótima chance conhecer melhor os seus recursos: dia 12 de novembro os interessados poderão ir ao cinema para aprender com o Vince Vader, professor de mídia digital na ESPM, como tirar o melhor dos anúncios nas buscas do Google. Cinemas de 20 cidades do Brasil, como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Porto Alegre, exibirão uma aula simultânea que será uma mistura de teoria, exercícios e interatividade, onde os participantes aprenderão como pensar estrategicamente e gerenciar suas campanhas de um jeito mais eficaz, inteligente e eficiente. O evento é gratuito e idealizado pelo próprio Google. Para fazer sua inscrição para o Treining Day, acesse o site http://expertbrasil.withgoogle.com/#!/.

Além disso, mais uma boa dica: A Infnet, renomada instituição de ensino superior do Rio de Janeiro, apresenta mensalmente um ciclo de palestras gratuitas, que acontecem todos os dias na sede da universidade. Há palestras nas áreas de Negócios e Carreira, Administração e RH, Design e Comunicação e Tecnologia. Para acompanhar todo mês as novidades, acesse o site da Infnet.

No Senai e Senac, nas unidades em diversos estados, há sempre workshops e cursos gratuitos presenciais e online. Acesse o portal dessas instituições na sua cidade e informe-se melhor.

Viu como há várias oportunidades gratuitas para adquirir conhecimento e se aprimorar profissionalmente? Procure na sua cidade quais instituições costumam oferecer cursos e palestras gratuitas e aproveite essa chance para impulsionar sua carreira!

8 lições simples e eficientes de venda

Vender é uma arte. E, como em qualquer profissão, praticar e aprender com os erros e acertos é o melhor método para alcançar a perfeição e atingir excelentes níveis de venda. Algumas pessoas já nascem com este dom, já outras o desenvolvem de tal forma que se tornam verdadeiras referências quando o assunto é vender algum serviço ou produto. E ser reconhecido pelo que você faz é um motivador e tanto, que reflete diretamente em seu desempenho. Acreditar no próprio potencial e dar o melhor de si são atitudes que impulsionam qualquer carreira.

Ser um bom vendedor requer dedicação e paciência. No entanto, seguindo alguns passos básicos objetivos é possível conseguir um resultado de excelência, aprimorando-se a cada dia.

Veja abaixo 8 dicas simples e eficientes para fechar boas vendas.

  • Preparação e Planejamento: fundamental para se organizar e administrar melhor seu tempo, escolhendo suas prioridades;
  • Prospecção: fundamental para definir o perfil de cliente ideal e quais as ações necessárias para atraí-lo;
  • Abordagem: fundamental para saber como “quebrar o gelo” e começar uma conversa de vendas, estabelecendo a sintonia e rapport (empatia, afinidade, confiança);
  • Levantamento de necessidades: fundamental para entender a situação do cliente, o que está buscando, possíveis problemas, necessidades e expectativas;
  • Proposta de valor: fundamental para entender como apresentar corretamente a solução adequada, de acordo com o perfil do cliente;
  • Negociação: fundamental para saber valorizar os pontos positivos da sua empresa, do seu produto e serviço, do seu atendimento, fugindo do desconto como a única ferramenta ou recurso de venda;
  • Fechamento: fundamental para avançar ativamente da negociação para a concretização efetiva da venda;
  • Pós-venda: fundamental para rever se o processo todo foi feito corretamente, conseguir feedback do cliente e iniciar o próximo ciclo de venda.

Além desses 8 passos, uma outra importante dica para quem trabalha com vendas é se autoavaliar e ver quais atitudes costumam fechar vendas e quais costumam repelir. Analise você mesmo, identificando quais argumentos você costuma captar os clientes e prepare-se previamente para as objeções. Desta forma, ao abordar os próximos clientes, você estará cada vez mais preparado para o que pode ouvir, como deve argumentar e quais os caminhos costumam fechar uma venda mais facilmente. Tenha isso em mente e facilite cada dia mais o seu trabalho como vendedor.

Siga essas dicas e veja como é fácil se tornar um excelente vendedor, que conquista clientes com a maior facilidade.

Boas vendas!